top of page
Buscar
  • flaviaibri

Metodologia DISC

A Metodologia DISC tem como base a identificação de traços comportamentais predominantes em cada indivíduo. A lógica é que, se sabemos as principais tendências de comportamento de uma pessoa, temos mais embasamento para tomar decisões e interagir uns com os outros.


Com as informações sobre os perfis comportamentais, a Metodologia DISC possibilita uma análise mais justa do ser humano onde cada um é avaliado de acordo com os perfis predominantes e nenhum é melhor que outro. Há perfis mais adequados para determinadas funções ou com mais facilidade para desenvolver certas características e habilidades, mas sem determinismo ou juízo de valor. Além disso, analisar o comportamento ajuda a eliminar vieses externos.


O surgimento da Metodologia DISC


William Marston, PhD em Psicologia pela Universidade de Harvard, elaborou a teoria DISC para explicar as reações emocionais dos seres humanos. Em seu livro “As emoções das pessoas normais”, ele descreve quatro tipos comportamentais principais, os quais originaram a expressão DISC:

  • Dominance (dominância): remete ao controle, poder e assertividade.

  • Influence (influência): relacionada à comunicação e às relações sociais.

  • Steadiness (estabilidade): diz respeito à paciência e persistência

  • Conscientiousness (cautela): relativa à organização e à estrutura.

Apesar de Marston ter sido o primeiro a sistematizar a metodologia e falar de comportamento, a inspiração para a divisão em quatro perfis tem como precursores Hipócrates e Galeno, que moldaram as expressões colérico, sanguíneo, fleumático e melancólico em seus estudos de medicina.


Os quatro perfis comportamentais


Antes de aprender sobre cada perfil DISC, é essencial saber que todas as pessoas possuem características dos quatro. Falamos, então, de perfis predominantes. Geralmente, uma pessoa possui um ou dois perfis cujas tendências de comportamento aparecem com mais frequência.


Conheça as características fundamentais de cada um dos perfis.


Dominância (executores)

Os executores têm dois valores principais, ou seja, dois princípios que guiam sua forma de se comportar: resultado e velocidade. Isso significa que os executores são pessoas orientadas à ação, que querem ver logo o produto do seu trabalho.


São muito ativos, dinâmicos, trabalhadores e possuem autoconfiança, coragem para assumir riscos, posicionamento forte e disposição para lutar por suas ideias. Quando um executor quer fazer algo, ele acredita que consegue, fala que é capaz e geralmente entrega. São pessoas determinadas e com muita força de vontade.


O executor é independente, tem iniciativa e gosta de trabalhar com autonomia. É rápido, tem raciocínio lógico e se motiva com desafios, já que os obstáculos o estimulam a agir cada vez mais.


Em sua sede por resultados rápidos, o impaciente executor pode se comportar de forma impulsiva: ele faz antes de pensar em como fazer. Seu posicionamento forte também pode aparecer como comportamento autoritário e um tanto quanto inflexível. É provável que esse perfil atropele pessoas e detalhes enquanto executa um projeto. Assim, é preciso cuidar para que as relações não se desgastem caso o perfil executor seja muito predominante.


Influência (comunicadores)

Os comunicadores têm a conexão como valor, de forma que são predominantemente voltados para as pessoas e relações. Isso faz com que estabeleçam laços com facilidade e que valorizem muito o contato interpessoal no ambiente de trabalho, por exemplo. Atuam muito bem em equipe, aprendem em conjunto e são amigos de todos.


Obviamente esse perfil tem facilidade para a comunicação. São pessoas geralmente sociáveis, extrovertidas, falantes e ativas. Têm um alto poder de persuasão, argumentam bem e são encantadoras. Como prezam pelo contato social, os comunicadores geralmente têm necessidade de reconhecimento e valorização.


Gostam de assuntos e trabalhos movimentados e são muito estimulados por novidades. Os comunicadores se adaptam ao novo com facilidade, são flexíveis e não gostam de monotonia. Além disso, são ágeis em suas atitudes, imaginativos e otimistas ao raciocinar e tomar decisões.


Por precisarem se conectar, pode acontecer de os comunicadores demandarem uma atenção que nem todos estão dispostos a oferecer no momento. Também é importante gerenciá-los no que diz respeito ao foco. Como são muito atraídos por novidades, podem ter dificuldades de se manter por muito tempo em uma mesma tarefa ou objetivo.


Estabilidade (planejador)

O valor dos planejadores é a linearidade. Ou seja, esse perfil preza pelo equilíbrio e pela harmonia. Quanto mais previsível e segura for uma situação, mais motivado ele estará. Por causa disso, são pessoas calmas, tranquilas, prudentes e que possuem autocontrole. Gostam de rotina e atuam sempre em conformidade com as regras estabelecidas. São constantes e disciplinadas.


Seu apreço por segurança faz com que o planejador sempre precise saber em que território está pisando. Isso faz com que ele mostre com uma capacidade de pensamento estratégico, excelente para traçar objetivos e planos de ação. Os planejadores são observadores, pacientes e têm bom senso, mesmo em situações emergenciais.

Além disso, o perfil planejador é mais voltado para o relacional do que para o processual. Embora mais introvertidos, ele possui grande preocupação com o bem-estar do grupo e com o outro de uma forma geral.


Como preza por linearidade, o planejador pode carecer de aptidões criativas. Sua busca por segurança também pode travá-lo: o planejamento tem que ser tão bom que a execução demora a acontecer ou não acontece. Esse perfil também precisa ser estimulado periodicamente em suas tarefas, mas as manifestações não devem ser efusivas ou promover sua exposição.


Cautela (analista)

Esse perfil tem como valor inegociável a qualidade. Mais orientado aos processos do que às relações, o analista tem a necessidade de executar bem todas as tarefas que são propostas a ele. O seu padrão de qualidade é alto, fazendo com que ele seja extremamente atento aos detalhes, perfeccionista. O analista também faz excelentes análises de risco.


Nas relações, são pessoas mais retraídas, caladas e discretas. Embora muito sensíveis, principalmente às críticas, são fechadas e não demonstram suas emoções com facilidade. O analista é leal quando sua confiança e respeito são conquistados.

Possui tendência à arte, justamente por sua sensibilidade. Além disso, é ágil e inteligente, com um ótimo raciocínio lógico. Os analistas são curiosos, gostam de aprender e são bons observadores.


A grande preocupação com a qualidade pode levar os analistas a um comportamento rígido. São mais inflexíveis diante do novo, por exemplo. Outra característica comum, que aparece aliada ao perfeccionismo analista, é o pessimismo. Esse perfil sempre acha que algo vai dar errado e que há algum risco. Apesar disso, tem grande energia para executar suas tarefas, se for adequadamente estimulado a não se prender aos detalhes irrelevantes.


*fonte etalent


26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page